Telefeone de atendimento

(11) 5572-3345

Doenças mais comuns de indicação de Transplante de Córnea


Ceratocone

O que é o ceratocone?
O ceratocone é uma doença ocular que atinge a córnea (se o olho fosse comparado a um relógio, a córnea seria o vidro). A doença causa uma deformação da córnea, fazendo com que a pessoa desenvolva astigmatismo ou miopia. Trata-se de um problema hereditário, que costuma se desenvolver na adolescência e estacionar na idade adulta, por volta dos 25 e 30 anos. No Brasil, estima-se que a doença atinja três em cada grupo de mil pessoas.

 

Sintomas
O primeiro sintoma que leva um paciente a procurar ajuda médica é a visão embaçada, que num primeiro momento pode ser diagnosticado como apenas astigmatismo. Caso o oftalmologista suspeite de ceratocone, pode solicitar um exame mais especializado chamado topografia corneana, que pode diagnosticar os casos já na fase inicial.
Vale ressaltar que o diagnóstico precoce não impede que a doença evolua, embora a maioria dos casos permaneça na fase mais simples, que pode ser resolvida com o uso de óculos.
O ceratocone não provoca vermelhidão, não produz secreção ou faz a pessoa lacrimejar.

 

Possíveis complicações?
A maioria dos casos de ceratocone resultam em problemas de visão não muito graves, como astigmatismo e miopia e são tratadas com óculos ou lentes de contato rígidas. Em uma minoria de casos é necessário tratamento cirúrgicos. Existem novos procedimentos que estão em avaliação da sua eficácia como Crosslinking corneana e anel intra-estromal. Mas a doença pode evoluir a ponto de necessitar de um transplante de córnea. As técnicas de transplante também tem evoluído e hoje existem diferentes técnicas de transplantes, como os parciais (lamelar) ou totais (penetrante).
No ceratocone é como se o vidro que recobre a parte anterior do olho estivesse deformada. Trocado o vidro, ou seja, feito o transplante, a pessoa volta a enxergar normalmente.

 

A quem recorrer?
A pessoa que estiver com dificuldades de visão, deve sempre procurar um médico oftalmologista. Antes de se submeter a um tratamento, recomenda-se entrar em contato com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (http://www.cbo.com.br), entidade que representa os oftalmologista do Brasil e procurar um médico especializado em córnea.