Causas ovarianas

OVARIUSA figura mostra o ovário, como visto no ultrassom. As estruturas escuras são os folículos, dentro dos quais se desenvolve os óvulos. Além da ultrassonografia, a potencialidade dos ovários pode ser avaliada também por meio de dosagens hormonais. A avaliação da função ovariana leva em conta  exame de ultrassom com contagem de folículos, dosagem de FSH e hormõnio antimülleriano, e idade da mulher.

Uma das doenças que cursa com falta de ovulação é a chamada síndrome dos ovários policísticos (ou síndrome da anovulação crônica) em que a paciente tem sangramento uterino irregular, em geral a cada 2 ou 3 meses, e o exame ultrassonográfico mostra a presença de inúmeros folículos ovarianos,situados frequentemente na periferia dos ovário. Essas pacientes podem ter aumento de hormônios masculinos (andrógenos) e, algumas vezes, apresentam aumento de pelos e, mais raramente, queda de cabelos. Podem, ainda, apresentar obesidade e dificuldade do corpo em assimilar os hidratos de carbono (presentes em doces e alimentos farináceos: bolos, tortas, etc.), por insuficiência da ação da insulina.

Na insuficiência ovariana prematura (ou menopausa precoce), os ovários deixam de maturar os óvulos, de modo que a ovulação se torna esporádica ou não ocorre. Em geral, as pacientes têm ausência de ciclo menstrual e sintomas semelhantes aos da menopausa (em especial, os fogachos ou ondas de calor). As causas da doença são múltiplas: radiação, quimioterapia, síndromes genéticas, infecções ovarianas, doenças autoimunes e outras. Nesses casos, os valores de FSH são muito altos, os de  hormônio antimülleriano muito baixos, a contagem de folículos muito baixa também .

A secreção de prolactina em excesso (hiperprolactinemia), bem como a falta de hormônios da tireóide (hipotireoidismo,) estão associadas à infertilidade e  abortamentos.

Outro fator (talvez o mais importante) capaz de influir nos ovários é a idade da mulher. Os óvulos são produzidos na fase embrionária, em número finito. Com o passar do tempo, o estoque de óvulos vai se reduzindo paulatinamente, e a sua qualidade vai se tornando menor. Com isso, a reprodução começa  a encontrar limitações cada vez maiores. Esta redução de quantidade e qualidade se acentua  entre 35 e 37 anos.

Por esta razão, quando a paciente deseja preservar a sua fertilidade por mais tempo, aconselha-se o congelamento de óvulos antes dessa idade.