Causas tubárias e do canal cervical

 

HSGinteiraA obstrução tubária impede a captação e o transporte do óvulo, de forma que não há possibilidade de sua fertilização pelo espermatozoide. Eventualmente, as tubas se dilatam, o que é visível em exame ultrassonográfico, caracterizando a hidrossalpinge. São duas as principais causas de obstrução tubária: a endometriose e as infecções pélvicas. O diagnóstico das obstruções tubárias é realizado por meio da histerossalpingografia. Este exame permite a avaliação da cavidade uterina e das tubas.

Para isso, estando a paciente em posição ginecológica, é injetado um contraste no útero. Este contraste progride do útero para as tubas, e depois sai delas para dentro da cavidade abdominal. O trajeto do contraste é documentado por filme ou radiografias seriadas, de modo a evidenciar o contorno interno da cavidade uterina e das tubas. O exame permite o diagnóstico de elementos que podem dificultar a gravidez, presentes dentro da cavidade uterina: pólipos, miomas dentro da cavidade uterina e cicatrizes que tendem a estreitar a cavidade, chamadas sinéquias.

Permite também que se observe o fluxo de contraste nas tubas, evidenciando obstruções ou outros defeitos de esvaziamento e da estrutura interna das tubas. Esta avaliação é de muita importância, posto que a presença de defeitos tubários é indicação de fertilização in vitro.

 

endom2Na endometriose, fragmentos do endométrio penetram nas tubas (menstruação retrógrada) e produzem inflamação, que acaba por alterar a função da tuba, que é o transporte de gametas e dos embriões. Algumas vezes, a endometriose se estende aos ovários também, prejudicando a formação dos folículos. Há pacientes que têm uma forma mais grave de endometriose, que se inicia quando começam a menstruar: em geral, são pacientes mais jovens e, nesse caso, o risco para a fertilidade é maior devido ao potencial mais agressivo da doença. O diagnóstico é feito pela clínica, pelo exame de Ca 125 (sangue) e por videolaparoscopia.

Sintomas  dessa doença são a dor durante as relações sexuais e as cólicas menstruais muito fortes.

867278_65131142As infecções pélvicas, que, em muitos casos são assintomáticas, são causadas por microorganismos que podem migrar da vagina para o útero e tubas. Como a endometriose, produz inflamação cuja cura promove cicatrização que acaba por alterar o funcionamento das tubas Quanto maior a frequência de infecções ginecológicas, maior a chance de ocorrer comprometimento das tubas.

 

991470_55643074

O muco cervical, secretado pela cérvice (colo do útero), deve ser penetrado pelo espermatozoide, em seu caminho para fertilizar o óvulo. Sua secreção depende de hormônios produzidos pelos folículos ovarianos (estradiol); logo, alterações da ovulação podem dificultar a produção do muco. Outras condições que alteram a secreção desse muco e contribuem para a infertilidade  são as cauterizações do colo do útero e as cirurgias para câncer do colo.