Seu ciclo menstrual

ciclomenstrual4fenomQnatro hormônios são mais diretamente envolvidos no ciclo menstrual, e também no diagnóstico feminino.  Dois deles são produzidos pela hipófise (FSH e LH)e outros dois pelos ovários (estradiol e progesterona).  Um quinto hormônio, muito importante para se conhecer o estado dos ovários, é o hormônio anti-mülleriano (AMH). Além desse, outros três tem também influência indireta nos processos reprodutivos: prolactina (também da hipófise), os hormônios da tireóide e hormônios masculinos.

Hormônio folículo-estimulante (FSH)

O FSH, atingindo os ovários pela circulação, estimula o desenvolvimento dos folículos ovarianos, um pouco antes da menstruação (R, na figura). Vários folículos (e seus óvulos) começam a se desenvolver e, perto do sétimo dia do ciclo menstrual, todos degeneram menos um, que vai ovular: é a seleção do folículo dominante. (S, na figura).

Quando os folículos crescem, produzem estradiol (hormônio feminino), que inibe a produção de FSH pela hipófise. Sendo assim:

  • se o valor do FSH no sangue for muito alto, há problema no crescimento folicular. Neste caso, falamos em insuficiência ovariana. Em casos mais extremos, leva à menopausa;
  • se o valor do FSH no sangue é muito baixo, o problema é na hipófise que não sintetiza. Neste caso, a administração de FSH injetável pode restituir a fertilidade.

Hormônio luteinizante (LH)

Cerca de 36 horas antes da ovulação (O, na figura: ruptura do folículo e liberação do óvulo), sua concentração começa a aumentar muito no sangue. Na ausência dessa elevação, não ocorre ovulação. Os “testes de farmácia”  detectam esta elevação, o que permite saber a ocasião de maior probabilidade de gravidez. Há certos casos em que, apesar de haver aumento do LH, não ocorre ovulação. Neste caso, o diagnóstico da ovulação deve ser auxiliado pela ultrassonografia.

Estradiol

É produzido pelos folículos ovarianos, estimulados pelo FSH. Durante o ciclo menstrual, sua concentração no sangue aumenta próximo à ovulação, e é esse aumento que determina aumento da secreção de LH. Quando não ocorre aumento do estradiol, então não ocorre também o aumento de LH e não há ovulação.  Quando há insuficiência ovariana, a sua concentração no sangue é muito baixa.

Progesterona

Depois da ovulação, o folículo que se rompeu produz a progesterona, que prepara o útero para a implantação. Seu valor máximo ocorre aproximadamente uma semana após a ovulação. Valores baixos de progesterona estão relacionados à infertilidade por insuficiência lútea: o endométrio não se prepara adequadamente para a implantação do embrião (I, na figura).

Outros hormônios que influem indiretamente no ciclo menstrual

1…hormônio antimülleriano (AMH): É produzidos pelos folículos pequenos, que ainda não estão fazendo parte do ciclo menstrual. Pouco antes da menstruação, alguns folículos começam a crescer nos ovários, pelo aumento natural do FSH. A grande maioria não cresce, sendo “reservada” para ciclos futuros: estes são os que produzem o AMH. Assim sendo, quanto maior o AMH maior a quantidade de folículos nos ovários, o que se chama reserva ovariana. Com o tempo, a reserva ovariana (e o AMH) se reduzem.

2…prolactina: secretada pela hipófise, tem papel importante na lactação. Seu aumento (hiperprolactinemia), influe diretamente no ciclo menstrual e na fertilidade, produzindo falta de ovulação, ciclos irregulares, por fim, supressão do ciclo menstrual. Pode ocorrer pelo uso de algumas medicações (antidepressivos, antihipertensivos, remédios contra náuseas e vômitos, remédios para gastrite, e outros) ou, às vezes, por tumores da hipófise.

3…tiroxina: hormônio da tireóide que, se baixos, podem se associar a irregularidades menstruais, infertilidade e abortamentos.

4…testosterona e seus derivados: são hormônios masculinos encontrados no sangue da mulher em quantidades pequenas, e também são produzidos pelos ovários. Seu aumento produz exacerbação de caracteres sexuais masculinos e, nos ovários, se associa a chamada síndrome dos ovários policísticos, produzindo irregularidades menstruais (menstruação cada dois ou três meses) e falta de ovulação.