Tratamento de Alta Complexidade

1.  Fertilização in vitro e transferência intrauterina de embriões

Esse procedimento também utiliza a estimulação controlada dos ovários, e os folículos formados são puncionados (aspirados) com uma agulha, guiados pelo ultrassom, por via vaginal sob anestesia geral retirando-se os óvulos de seu interior. Conforme o número produzido, ou a quantidade e qualidade dos espermatozoides, o processo de fertilização in vitro poderá ser realizado pela técnica clássica (FIV) Link, ou seja, os espermatozoides serão aproximados dos óvulos numa placa de laboratório, ou serão injetados nos óvulos (ICSI) Link.

1136105_36599355Três a cinco dias depois de formados os embriões, eles serão transferidos, com o auxílio de um cateter, para o interior do útero.

Esse procedimento está indicado nas seguintes situações:

A) Nos casos de infertilidade por obstrução (física ou funcional) das tubas (infecções, aderências, endometriose, etc.);

B) Quando existem problemas graves de morfologia, concentração e motilidade do sêmen;

C) Quando o homem não apresenta espermatozoides no sêmen, por problema obstrutivo. Nesses casos, eles podem ser retirados dos testículos ou dos epidídimos, e injetados nos óvulos;

D) Se não ocorrer a gravidez após algumas tentativas de inseminação intrauterina;

E) Se o casal tem potencial para produzir embriões com alterações genéticas ( porque tem antecedentes familiares ou pessoais), a realização da fertilização in vitro permite que seja feita análise cromossômica do embrião.

A taxa de sucesso está próxima de 50% por ciclo.

 

2. Ovodoação

1373858_42342101Quando ocorre uma insuficiência dos ovários, como na menopausa ou na menopausa precoce, ou quando os ovários são retirados cirurgicamente (por endometriose grave ou tumores, por exemplo), a chance de produção de um óvulo adequado para fertilização torna-se muito pequena. Nessa situação, é possível a gravidez com utilização de óvulos doados por outra paciente.

A doação é anônima e não comercial, e a doadora, além de ter semelhança (características físicas e mesma origem racial) com a receptora, deve também ser jovem, sem doença, e com capacidade de produzir vários óvulos na estimulação ovariana.

Os óvulos da doadora serão fertilizados com os espermatozoides do parceiro da receptora, e os embriões transferidos para o útero dela, que será previamente preparado com medicamentos adequados.

A taxa de sucesso nesse procedimento é semelhante à da fertilização in vitro.

 

3. Banco de Gametas e Tecidos

1138686_24060909Atualmente, um banco de tecido aplicado à Reprodução Humana pode criopreservar gametas (espermatozoides e óvulos), tecidos (testículo e ovário) e embriões. A criopreservação é a técnica utilizada para o armazenamento em nitrogênio líquido (-196°C) por tempo indeterminado.

Denomina-se Banco Homólogo ou terapêutico quando o material armazenado é do próprio paciente para seu próprio uso e, Banco Heterólogo quando o material armazenado tem o propósito de doação.

IMG_0369      IMG_0375

 

Saiba Mais